A entrevistada da vez pelo F4L tem história com a seleção brasileira, com times nacionais e internacionais. Érika Cristiano dos Santos, de 30 anos, começou no futebol com a maioria das meninas, jogando com meninos.

Com o incentivo dos pais e o irmão, ela entrou para a escola do Marcelinho Carioca aos sete anos. “Fiquei muito ansiosa, nem dormi direito. Ficava pensando como seria, pois não tinha nenhuma noção (risos)”, disse a jogadora.

Na entrevista exclusiva ela contou da sua reação quando foi,pela primeira vez, convocada pela seleção há 13 anos. “Senti uma sensação diferente de tudo que eu tinha vivido até então. Foi uma explosão de felicidade”, conta Érika.

Érika mostra a medalha de ouro conquistada no Pan-Americano de 2015 (Rafael Ribeiro/CBF)

Confira a entrevista exclusiva e completa abaixo:

COMEÇO E GOSTO PELO FUTEBOL

Nunca soube ao certo se seria jogadora (risos), mas esse era meu objetivo e sonho. Sempre fui incentivada por meus pais a praticar esporte, independente da modalidade, mas me identifiquei desde muito pequena com o futebol. Nesse período apareceu a oportunidade de carreira de modelo, por ser uma garota magra e grande, mas em pouquíssimo tempo vi que não era o que queria.

PRECONCEITO

No início não ligava muito para o preconceito. Obviamente que achava chato e não entendia muito o motivo, mas isso nunca me abalou. Poderiam falar o que quisessem, mas eu estaria lá firme e forte jogando futebol onde quer que seja… escolinha, clube, escola, rua… infelizmente, sofremos preconceito até hoje, mas tiro de letra.

ESCOLINHA E INCENTIVO

Érika entrando no estádio com a camisa corintiana (Bruno Trolo/Corinthians)

Perguntei para os meus pais se eles tinha condições de me colocar na Escolinha do Marcelinho Carioca aos 7 anos. Fiquei muito ansiosa, nem dormi direito. Ficava pensando como seria, pois não tinha nenhuma noção (risos). Porém, na época, eu estava acostumada a jogar com os meninos, então foi tranquilo. Minha mãe e meu pai foram meus maiores incentivadores.

CLUBE QUE MAIS MARCOU SUA CARREIRA

Antes de jogar no Corinthians, atuei no Juventus, Santos, Gold Pride, Foz Catarataz, Centro Olímpico e PSG. Mas é impossível falar somente de um dos clubes, todos marcaram de alguma forma e contribuíram no meu aprendizado, me proporcionando crescimento profissional e pessoal.

PRIMEIRA CONVOCAÇÃO PARA A SELEÇÃO E TÍTULOS

Érika treinando com a seleção feminina de futebol (Divugalção/CBF)

Na minha primeira convocação senti uma sensação diferente de tudo que eu tinha vivido até então. Lembro que eu estava super ansiosa, mas depois que soube foi uma explosão de felicidade. Eu nem pensava em títulos (foram três Copas América e ouro no Pan-americano de 2015). Eu sonhava em representar o meu País e fazer o que eu mais amo nessa vida.

COPA DO MUNDO FEMININA EM 2019

Será uma competição muito difícil, o Vadão e sua comissão estão desenvolvendo o trabalho deles e nós sempre depositaremos as melhores expectativas em nossa seleção.

FUTEBOL FEMININO NO BRASIL

Vejo um crescimento interessante na modalidade. Cada vez mais meninas buscando o futebol como profissão, alguns clubes tratando e conduzindo a modalidade com a atenção merecida. Porém, ainda estamos muito abaixo do que vi no exterior.

PROPOSTA CORINTIANA DE ARTHUR ELIAS

Foi uma surpresa. Fiquei muito feliz e querendo aceitar, porém não me sentia segura naquele momento, por não ter a certeza se estaria apta no momento em que o clube precisasse, principalmente, por saber que já seria em um momento decisivo da competição. Mas confiei no trabalho do meu preparador físico (Marcelo Rossetti)e seguimos (risos).

SONHO DE SER MAIS UMA LOUCA E FUTURO

Érika segura a taça de campeã brasileira com o Timão (
Bruno Trolo / Corinthians)

Foi um sonho realizado,não tenho dúvida disso. Tanto meu, quanto do meu pai (ambos corintianos). Mas o meu futuro ainda não está definido. Devem surgir algumas propostas, mas vou sentar e conversar com a diretoria antes (o Corinthians foi campeão brasileiro e, recentemente, campeão da Rosario Cup 2018, com dois gols de Érika na competição).

RECADO PARA QUEM ESTÁ COMEÇANDO

Não desistir dos sonhos ou objetivos que queiram alcançar. Ser jogadora de futebol não é fácil,requer dedicação, comprometimento e muito amor. Então, siga firme!

#TodasPorUm – Ep 1 – Erika

Ela chegou na fase final do Brasileirão, conseguiu alcançar sua melhor forma em poucas semanas e tornou-se peça importante nos jogos decisivos.Hoje, no #TodasPorUm, a história de Erika na conquista do Brasileiro.#VaiCorinthians #SCCP #Timão #FutebolFeminino #AquiÉCorinthians #RespeitaAsMinas #CaleOPreconceito #FielTorcedor #Decathlon #ÉPositivo #CorinthiansÉPositivo #MindsIdiomas #MindsOnlineEPresencial

Publicado por Corinthians – Futebol Feminino em Terça-feira, 27 de novembro de 2018