Esse foi o grande dilema (para os aficionados por um punk rock de qualidade, claro) que os peruanos passaram durante esse mês de outubro. Com o quinto lugar na tabela das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, a seleção nacional do Peru conseguiu uma vaga na repescagem e, se vencer, é claro, poder estar na Rússia no ano que vem.

O jogo, que é o mais importante do ano para aquela nação, acontecerá no dia 16 de novembro, no estádio Nacional de Lima. Mas estava previsto, menos de 24 horas antes (15 de novembro), no mesmo local, o show da banda norte-americana de punk rock Green Day.

Torcida peruana durante o jogo das eliminatórias com os dizeres: “Mãe, eu vou!” (EFE)

O impasse era remarcar a partida para outro local ou cancelar o show. Uma solução encontrada pela empresa dona dos direitos autorais do evento, a Move Concerts, era com que a Federação Peruana de Futebol (FPF) arcasse com o prejuízo da suspensão ou cancelamento do show. A FPF, apelou para o poder público executivo dizendo que deveria priorizar o estádio para a sua finalidade natural, ou seja, o futebol.

Com isso, a banda e a empresa resolveram mudar o local e a data do show para garantir “mais apoio” para a seleção do Peru no duelo de volta da repescagem. O Green Day vai se apresentar, depois de todo o ocorrido, no estádio San Marcos. A última participação do Peru em uma Copa do Mundo foi em 1982. Na época, o Green Day nem pensaria em existir, pois foi formada em 1987.

O duelo de ida entre Nova Zelândia e Peru será, às 3h15, ou seja, na madrugada do dia 10 para o dia 11 de novembro, em Wellington. A volta está marcada às 00h15, na madrugada do dia 15 para o dia 16 de novembro.